Páginas

26/04/2018

Mergulha







Jornada assumida com muito amor, onde no decorrer desses
quase cinco anos, percebemos que despertar almas para a missão do bendizer, é
mais do que ensinar algo, é mostrar que o caminho e o caminhar precisam estar
harmônicos, precisam ser e estar em sintonia, ressoando com o divino. Isso nos
torna responsáveis pelo que sentimos, pelo que vibramos, pelo que falamos.
Somos semeadores e a consciência de que cada palavra é semente e cada coração
um vaso, nos torna caminhantes mais atentos, amorosos e assim, seguindo a vida,
mergulhando fundo na Luz!
Gratidão ao universo por essa jornada, por sermos
instrumentos do divino e nossos corações, poços profundos do amor da Grande
Mãe!
Assim seguimos!

Amadeu Junior
Rose Kareemi Ponce


25/04/2018






Há hoje em dia, inúmeros cursos que te prometem alcançar níveis superiores de energia, pensamentos, seres. Há inúmeros e com registro, patenteado. Como se o divino quisesse que patenteássemos coisa alguma, como se pudéssemos tomar posse do que sequer é nosso, sendo cada ser apenas um instrumento.
Há cursos que te prometem iluminação.
Mas, ninguém fala sobre frequencia vibratória, sobre a qualidade do sentir, que nos eleva ou nos faz decair. Sim porque manter uma frequencia em harmonia, depende da nossa disponibilidade e da nossa sustentação. Não há menor possibilidade de ascender, sem ressoar com a frequencia acima.
Hoje há técnicas, teorias, protocolos, mas nenhuma dessas coisas té dá a outorga de chegar a niveis superiores, sem que seu coração esteja vibrando na mesma onda.
Não há como ter técnica se não se está em harmonia. Não há como alinhar os chacras em atendimento do irmão, sem estar em sintonia com a vibração que possibilita isso e mais, como alinhar os chacras, as energias do outro, se o outro vibra em outra sintonia?
Quem nos dá o direito disso?
Quando se vira a esquina, o outro já baixou sua frequência e seus chacras ja voltaram a ser o que estavam sendo, porque para que qualquer coisa em nós vibre em harmonia, não é o externo que vai fazer isso, é o interno. Não é o outro que tem esse poder, senão nós mesmos.
Como querer ser bom "reikiano", "benzedor", "xamã", etc., se não sou boa pessoa, mãe, pai, irmão, filho, amigo?
Como querer falar de amor, se em casa eu espanco meu filho?
Como querer falar de harmonia se eu julgo?
Como querer falar de unidade se eu mesma separo?
Há muito "lixo" nesse caminho dito espiritual. Há muito protocolo e pouca disponibilidade de mudança.
Como eu posso querer ajudar um irmão, se outro vem a minha porta pedir auxilio e eu me recuso a dar.
Como falar de compaixão, se me nego a dar uma moeda, um prato de comida, um alento?
Caminhar o caminho da impecabilidade, que é o caminho de buscador (prefiro buscamor), requer esforço. Sair da casca das mentiras sociais e seguir a verdade do coração?
Mentiras sociais são as que fingimos que acreditamos que estamos sendo verdadeiros, mas, no escondido somos o oposto do que mostramos.
Nossas máscaras.
Prego a mundo amor e delicadeza, mas sou cruel e raivosa.
Prego ao mundo um caminho de igualdade, mas olho meus irmãos do alto do meu trono de merda.
Prego ao mundo paz, mas vivo na guerra com os que convivem comigo e com o meu coração.
A espiritualidade está cheia de protocolos, quando na realidade ela é simples, porque não está separada do que penso sobre sociedade, sobre amizade, irmandade, família, companheirismo. É tudo a mesmíssima coisa. Não somos peças separadas dentro de nós mesmos. Somos seres integrais. Deveríamos ser unidade.
Como falar sobre qualquer técnica elevada, se para ressoar com o divino eu preciso subir minha frequencia?
Não há mestres capazes de nos ensinar a atravessar a porta. Ela é estreita e só cabe o amor que vibramos. Para atravessá-la, precisamos abandonar o ego inflacionado pela técnicas, que nos fazm acreditar que podemos ser mais, sem o esforço de nos rendermos a luz e sermos apenas instrumentos e ser um, nos torna mais responsáveis, não melhores do que o outro. Apenas mais responsáveis sobre quem somos e o que vibramos.
Não dá para abrir mão de quem se é, para agradar quem quer que seja.
Não dá para deixar de ver quem se é, porque o outro gostaria que usássemos outra pintura. Enquanto usarmos máscaras, jamais subiremos nossa frequência.
Enquanto aceitarmos protocolos que ditam regras, jamais encontraremos quem somos verdadeiramente.
Enquanto eu olhar para fora, jamais conseguirei descobrir meu verdadeiro eu, que está dentro, no mais profundo de mim mesma. Minha essência divina.
Somos mais de 70% água e nossas águas precisam ser purificadas dos sentimentos densos para que as palavras, nosso verbo sagrado, ao sair por nossas bocas, sejam puras. As palavras nascem de nossas sagradas águas e usam do vento para encontrar outras paragens, outros corações.
Como estão nossas águas no aqui e agora?
Como estão as águas dos que nos cercam e recebem nossas emanações vibracionais?
Nossas palavras tem abençoado ou amaldiçoado as águas, nossas e de todos os que rodeiam nossos corações?
Somente essa consciência nos fará adentrar o sétimo degrau e lá atingir as frequencias mais elevadas.
Somente essa consicência nos permitirá ressoar com o divino.
O resto são técnicas e protocolos.....e isso não nos torna melhores.
Precisamos sair da prisão que acreditamos ser a verdade e nos jogar no colo da luz e lá, encontrar quem somos, para poder a partir disso, saber quem e como podemos ajudar.
Não há a menos possibilidade de caminhando na mentira, conseguir isso. Alinhamento requer trabalho e desapego.
Harmonia requer disponibilidade e desapego.
Ressoar com o divino requer rendição e verdade, principalmente consigo mesmo.
Precisa ter disposição para ser quem se é e coragem para Ver quem se está!

Rose

24/04/2018



Sempre me disseram, que caminhar com as palavras, afasta pessoas. Nunca compreendi verdadeiramente como isso seria possível, afinal quando se caminha no equilíbrio, na harmonia, pensava eu, não há como pessoas se afastarem. Não é possível que sinceridade afaste pessoas. Ledo engano. Quando se caminha com as palavras, somos os chatos. Os que cobram. Os que não querem mais tolerância, os que querem respeito.
Respeito, caminhar com as palavras, requer desconstrução. Requer desapego. Requer renascer.
Não. Não são todos que estão dispostos e disponíveis. Não são todos que compreendem que amar incondicionalmente é exatamente e profundamente apenas isso: sem condições.
Não importa sua religião, sua formação, sua ideologia, sua cor, raça ou credo; não importa selos e etiquetas, importa somente o coração e tudo o que se emana através dele.
Não, não é simples, não é fácil. Porém não é difícil, é apenas desafiador. Há que se ter coragem. Há que se ter intento. Há que ser forte.
Sim, forte. Porque apenas os fortes rasgam a roupa da alma e trocam a dura e pesada vestimenta do julgo por algo leve como acolhimento. Há que ser forte para ser descascado feito limão, para se tornar doce.
Há que ter coragem para mudar de rua, de cor preferida, de opinião. Há que ter coragem para abraçar o irmão em situação de rua e abençoa-lo em sua dor. Há que ter coragem para sair de casa e botar a cara a tapa. Dar a outra face
Há que ter coragem para pintar a cara de azul e ser céu.
Há que ter coragem para pessoas julgarem sua jornada e apenas oferecer seus sapatos para elas calçarem. Num exemplo simples de vida.
Há que ter coragem pra ser o que se é e para ver, de frente quem se é.
Há que ter coragem para ser.
Há que ter coragem para seguir além do que os outros esperam de você.
E para ter coragem, é preciso se re-conhecer a cada dia e saber o tamanho do espaço sagrado que nos cerca.
Há que ter coragem.


Rose




O meu mundo é diferente
Não é como os outros
tem outras cores
outros sabores
outros caminhos percorridos


No meu mundo tem pés descalços
tem flores voando e colorindo o céu
pássaros cantando e abençoando almas

No meu mundo não tem diferenças
Não há irmãos pelos chãos
não há fome nas barrigas das crianças
não há desigualdade

No meu mundo tem mãos dadas
tem rezos e canções
tem danças de roda

No meu mundo não tem dores
as flores não tem espinhos
a lua sempre ilumina
o sol sempre aquece

No meu mundo não tem classes sociais
Não há escravos escondidos
não há tristezas nem mazelas
há esperança e confiança

No meu mundo o amor existe
e pessoas não sobem em tronos
para semear separações.

No meu mundo somos espelhos
e refletimos nos olhos o amor mais puro
No meu mundo, não há muros
há portais e pontes
por onde os irmãos chegam sem medo

Rose


Cada vez mais percebo que Ser alguém que leva bençãos aos irmãos, me faz ser lapidada e caminhar com minhas palavras a cada momento da vida.
Impossível querer bendizer uns e maldizer outros.
Cada vez mais percebo que Ser alguém que leva bençãos aos irmãos, faz eu ser lapidada e caminhar com minhas palavras a cada momento da vida. Coloca minha coluna ereta, assim como minha alma em alinhamento. Subir uma oitava acima na frequencia vibratória, estar atenta e disponível à luz!
Não há como usar do verbo sem atenção, soltar palavras no ar como se elas não encontrassem o endereço de pouso.
Cada palavra, assim como cada flecha lançada, não volta, encontra o alvo e, por isso, há a necessidade de atenção.
Se quero vibrar amor, preciso Ser amor.
Se quero vibrar bençãos, preciso Ser bençãos.
Se quero vibrar paz, preciso Ser paz.
Ser uma benzedeira, me faz ser cada dia a melhor pessoa que eu puder!
Gratidão pelo caminho, pelo verbo que nasce de minhas águas sagradas e usam do ar para voar e levar sementes aos corações necessitados.
Gratidão por todos os corações dispostos a Serem!
Assim, nos curamos e curamos o mundo de nós mesmo!


Rose Kareemi Ponce